Pular para o conteúdo principal

Postagens

Ontem um jovem negro foi espancado na Universidade...

“Quando se faz educação, sempre será em favor de alguém e, consequentemente, contra alguém” Ana Maria Araújo Freire em entrevista à Agencia Adista Em favor de quem vem sendo feita a educação na UFES? E contra quem? Tal questionamento não deve ser, e não aceitamos que seja, respondido por uma bela carta ou por um discurso dos que fazem a UFES ser apenas dos que por ela podem pagar. Essa questão é respondida cotidianamente através das situações vivenciadas por toda pessoa pobre que comete a ousadia de ingressar nessa universidade. Essa é uma questão das mulheres, das pretas e dos pretos, das favelas, da comunidade LGBTT! Temos ouvido que esse lugar não nos pertence e muitas vezes o povo tem sido expulso da UFES.Somos expulsas e expulsos pelo desprezo à nossa história e realidade em nome da neutralidade acadêmica; pela mediocridade e burocracia da assistência estudantil; pela dificuldade de se referenciar em um corpo docente e em uma administração branca e majoritariamente racista e mach…
Postagens recentes

Essa história é nossa

Por Amanda Quaresma (Levante do Pará) e Lira Alli (Levante de São Paulo)

O que nós, jovens, temos a ver com a ditadura? Por que lembrar o dia do golpe, 51 anos depois, sendo que a ditadura já tinha acabado quando nós nascemos? Nós não temos dúvidas de que esse passado segue deixando marcar profundas e violentas que afetam diretamente nossas vidas.Essa história é nossa porque mesmo depois da ditadura “acabar” no Brasil, a polícia nunca alterou sua forma de funcionamento e tem uma prática de tortura, desaparecimentos e assassinatos que afeta em especial a juventude negra, pobre e das periferias. (E é nossa também a história dos povos negros escravizados, outra parte “esquecida” e “mal acabada” da nossa história)Essa história é nossa porque ainda somos reféns da grande imprensa construída pela e com a Ditadura. A Rede Globo, maior representante de tudo que há de mais antidemocrático em termos de mídia em nosso país, manipula informações e sonega impostos como se não fosse nada. E não é co…

Estudante vence concurso de redação com o tema memória e verdade

O estudante Fábio Lahass, do Colégio Estadual do Espírito Santo, foi premiado no concurso de redação com o tema Memória e Verdade. Confira abaixo o texto cedido pelo estudante e veja o que a juventude tem a dizer sobre Memória, Verdade e Justiça.
Parabéns ao Fábio e a toda a equipe de professores que bravamente nano permitem que a história do país seja apagada!


"O passado é importante. Alguém que desconhece sua história é um ser incompleto, é o mesmo que ver o presente sem avaliá-lo, vivê-lo sem consciência ou perspectivas de mudanças. É o que acontece ainda hoje. O presente ainda possui traços de ditadura. A democracia demorou a ser instalada no Brasil, tanto que está no “papel”, mas pela sociedade não é cumprida. Ainda vive-se sob uma falta de liberdade de expressão. Um exemplo claro disso é a mídia, por meio da TV e a própria internet, que não ditam regras, mas censuram opiniões próprias da sociedade por meio de induções.
Logo não é possível seguir o modelo de ditadura e deixar q…

Levante em luta contra o genocídio do Povo Negro

“Por menos que se conte a história
Não te esqueço, meu povo.
Se Palmares não vive mais
Faremos Palmares de novo”  No dia 22 de agosto as ruas da capital do ES se encheram de brilho, força e luta com a II Marcha contra o genocídio do povo negro, onde nos levantamos contra o projeto genocida do Estado. Na mesta tarde, negras e negros marcavam as ruas e asfaltos de outros 17 estados e 15 países, espalhando por todo mundo rastros de força, resistência e luta do povo negro organizado. Aqui no ES, essas marcas eram de vida e resistência, na contramão das estatísticas oficiais do estado, o 2° que mais mata a juventude negra. Marcamos também quem viveu esse dia, povo forte que encheu de cor e vida as ruas que diariamente nos oprimem. Dissemos ao Estado racista e genocida que não aceitamos as condições que continuam a nos impor. Além disso, lembramos a esse mesmo Estado que estamos vivas e vivos, que carregamos laços de irmandade entre nós. Laços que nos alimentam e fortalecem nossa luta. Mas,…

Acontecerá sexta feira a II Marcha Internacional Contra o Genocício do Povo Negro

 A Campanha Reaja ou será Morta, Reaja ou Será Morto, é uma iniciativa de negros/as brasileiros/as, que não aguentam mais as reiteradas práticas que contribuem para o Genocídio do Povo Negro, como o Extermínio e o Racismo institucional, que encarceram e matam nossos irmãos e irmãs todos os dias nos presídios e hospitais.A II Marcha acontece na próxima sexta-feira, 22 de Agosto de 2004 em 18 estados brasileiros e 15 países das Américas, Europa e África, e convocam, convidam, conclamam todas as Organizações dos movimento sociais, em especial do movimento negro, a entoar suas vozes e REAGIR dando um salto de Unidade, Autonomia, Protagonísmo e Solidariedade na Luta Contra o Genocídio, o Racismo e o Extermínio do Povo Negro, para o enfrentamento dos resultados dos quase 400 anos de trabalho escravo e 126 anos de racismo institucional e social, que tem como herança uma sociedade extremamente desigual, preconceituosa, racista e injusta.Convidamos o povo capixaba, a população de negros/as, ap…

Levante participa do VII Congresso Brasileiro de Geógrafos

"A AGB e a Geografia Brasileira no contexto das lutas sociais frente aos projetos hegemônicos" foi o tema do CBG, que teve sua sétima edição realizada em Vitória. O encontro está entre os maiores congressos científicos da América Latina.
Com o intuito de questionar o atual modelo de desenvolvimento do paÌs que privilegia grandes empreendimentos e empresas e gera imensos impactos sociais e ambientais, na noite do dia 14/08 as/os participantes saíram da Universidade e foram as ruas em um ato político. É nesse contexto que o Levante Popular da Juventude, juntamente com a AGB e outros movimentos e organizações sociais como MST, MPA, Sindibancários e Fórum de Mulheres partiram da marcha. Durante o trajeto, manifestantes  pararam para assistir uma aula pública em frente ao Hipermercado Wall Mart, onde movimentos do campo denunciaram os projetos hegemônicos do agronegócio. houve ainda parada na FINDES, Federação das Industrias do Espírito Santo, onde movimentos urbanos denunciaram o…

Por Reforma Política, Constituinte Já!

 A cada quatro anos a mesma historia se repete: os partidos políticos lançam seus candidatos às eleições e iniciam uma verdadeira corrida em busca do maior número de votos possíveis. Os comitês se organizam, são contratados os melhores marketeiros disponíveis no mercado, super produções são gravadas para veicularão em rádio e TV, além de inúmeros cartazes e santinhos espalhados por todas as cidades.

 Diante de tudo isso, um importante questionamento passa despercebido pela maioria da população: de onde vem o dinheiro que banca todas essas milionárias campanhas? É evidente que a arrecadação dos partidos juntamente com as contribuições individuais de eleitores não são suficientes para bancar todos esses custos. Sabemos também que atualmente nenhum candidato, por melhores que sejam suas propostas, é eleito sem um bom investimento financeiro em sua campanha.
 E quem paga a conta, então? Quem financia as campanhas eleitorais no Brasil são as grandes empresas. Mas isso não quer dizer que o se…